SSUCv3H4sIAAAAAAAACpyRz27DIAzG75P2DhHnRspfmvZVqh0coA0qgQrIpqnqu89AqDjvhn+2P/szz8+PqiIzOMnIuXqGCGOp1Oa8BS+NRtwcdm6F5sKWRHDpjZWgSjiDZ4uGVSDUm1IBv2KSOA9+c8KFYTti4MUNNRJ8S6SNLimuciImsQNThBwK5rY5soyS+L860+Mru4Gb0Ow3LlwYsUIJSEYuqZTcf7ywa2kNNi5N4erbMFChoC+UHlYyqW9Fm/FLvHJuY2bT3oYV3psTZcwDZhVOfEVNkfkCzmE5z7wYxPBPzVrM0cZHA7sq4fgTIWz7rqGnqekoPY3tONB+L0i/t0jUietkIYzZXfLSugwbkHbqaDM3bU0Fp/VwHMcaBnGsO3Zt++E0dcABD//6AwAA//8DAOHKNHaHAgAA

Uece tem maior hospital veterinário do Norte e Nordeste do Brasil

Segundo o diretor da Faculdade de Veterinária, professor José Nailton Bezerra, o equipamento tem serviços acessíveis à população mais pobre. “Tendo em vista que a função precípua do Hospital é atividade didática, os serviços são praticados com taxas a preço popular, possibilitando à vizinhança do entorno o acesso à assistência veterinária de seus animais, contribuindo para minimizar o abandono de cães e gatos em Fortaleza, sobretudo na região da Grande Parangaba”.

O diretor conclui que o HVSBC se constitui em importante instrumento de ensino para a formação de médicos veterinários, possibilitando uma ação de rotina integrada de acompanhamento, diagnóstico e tratamento de enfermidades e, ainda, atuando como centro de referência tanto para a comunidade como para suporte às clínicas veterinárias e para os profissionais autônomos.

Parceria com abrigo de animais.

No último dia 13 de junho, alunos do curso de Medicina Veterinária da Uece realizaram um evento para vacinação contra leishmaniose visceral canina (calazar) em animais do Abrigo São Lázaro. A iniciativa faz parte da implantação do projeto piloto de vacinação autorizado pelo Ministério da Saúde e Ministério da Agricultura, sendo selecionadas, inicialmente, as cidades de Fortaleza e Brasília-DF. Todos os graduandos que participaram da ação cursam a disciplina Doenças Infecciosas Veterinárias, sob responsabilidade da professora Salette Santiago.

São aplicadas três doses em cada animal, divididas em intervalos de 21 dias entre elas. Antes da vacinação, os estudantes realizaram o teste rápido DPP, método de triagem para o diagnóstico da leishmaniose visceral canina.

Uma parceria entre a Prefeitura de Fortaleza e o laboratório CEVA permite a vacinação de 800 animais, em média, contra a leishmaniose, causada por um protozoário flagelado do gênero Leishmania, transmitido pela picada de fêmeas de Lutzomyia longipalpis, conhecido como mosquito-palha. Ele se reproduz em materiais orgânicos e úmidos.

“A ação, além de favorecer o treinamento técnico dos acadêmicos do curso de Medicina Veterinária, permitiu uma visão mais humanística por parte dos acadêmicos, mostrando o papel do Médico Veterinário na Saúde Única, com responsabilidade imprescindível junto à sociedade, zelando tanto pela saúde e bem-estar animal, como pelo controle e prevenção de zoonoses”, ressaltou a professora Salette Santiago.

Deixe uma resposta

Fechar Menu